COMPOSIÇÃO COM PAISAGENS

O Desenho de Estradas e Caminhos - Parte Final
Por Phil Metzger
Frequentemente, o desenho expressivo de uma estrada depende mais de qualquer outra coisa do que das linhas que representam as arestas. Acabamos de falar dos segmentos que se tornam mais pequenos à medida que um caminho em ziguezague avança. Outra técnica de perspectiva eficaz consiste em atrair a atenção para os detalhes das coisas que se encontram ao longo da estrada. Em cima os postes de energia e as estacas de marcação contribuem mais para definir a estrada do que as linhas da própria estrada.
Se olhar bem, notará os postes atrás das colinas; eles indicam que a estrada desce por detrás do topo da colina e vira um pouco para a direita. Alguns detalhes sutis podem ser mais interessantes e reveladores do que uma enorme quantidade de informações óbvias.
Agora veja mais esse exemplo:

PERSPECTIVA - DESENHO DE PAISAGEM

O Desenho de Estradas e Caminhos - Parte II
Por Phil Metzger
Um outro efeito do caminho em ziguezague consiste em atrair o olhar para a composição ao longo de uma linha mais irregular. O contrário disso é o caminho reto que comprime diretamente e sem rodeios até em cima, em direção a casa. Os caminhos e as estradas são meios eficazes nas paisagens tradicionais. Elas são o fio com o qual as construções e outros objetos formam tecidos. Oferecem uma maneira fácil de sugerir profundidade e são um meio muito importante para chamar a atenção. Ás vezes é complicado desenhá-las, mas se forem imaginadas como finos blocos em perspectiva e refletir sobre a inclinação que cada bloco pode ter, então o desenho se tornará mais fácil. Examine o isso nessa ilustração:

PERSPECTIVA - O DESENHO DE ESTRADAS E CAMINHOS

Por Phil Metzger
A proposta desse assunto é que ele seja publicado em três partes. Sem delongas vamos a primeira...
.
Ainda que uma estrada ou um caminho que levem a uma construção sejam, talvez, considerados só como uma parte insignificante de um desenho, podem quando são bem feitos, produzir grande efeito quanto à sensação de profundidade numa composição, assim como na descrição de uma paisagem plana ou montanhosa. Observe o desenho abaixo:

AL PARKER (ARTISTA)

Al Parker (Artista) - 1906-1985

Hoje estamos disponibilizando para download os trabalhos (as pranchas mesmo) deste que foi um dos mais qualificado, competitivo e bem pago profissional da arte comercial americana (tanto que o homem é conhecido como o reitor dos ilustradores). Ele trabalhou nas mais conceituadas revistas americanas a partir do final dos anos 30 em diante. Entre essas revistas estão a Collier's, Cosmopolitan, Sports Illustrated, The Saturday Evening Post, Good Housekeeping, Vogue entre outras.

UMA AULA COM BURNE HOGARTH?

É uma coisa surreal, mas veja isso: Uma aula de desenho da cabeça humana com Burne Hogarth. (Ah fala sério!!)


Esse material incrível foi postado por Raul Neto. Muito obrigado Raul por disponibilizar esse vídeo.