O PAPEL

A superfície mais comum para desenho é o papel branco, alguns artistas preferem usar um papel texturizado para os desenhos a carvão. O papel texturizado também pode ser usado nos desenho com lápis Conte. Porém se o efeito desejado for tons de preto sólidos é preferível o papel de desenho liso.
É preciso distinguir os papéis usados cotidianamente, tipo sulfite, fabricados com polpa de madeira através de processos industriais, dos papéis de alta qualidade para fins artísticos, estes são feitos com fibras têxtil (trapos) e elaborados de forma artesanal, com rigoroso controle de qualidade. É interessante observar que estes mesmos fabricantes produzem também produtos mais baratos de qualidade mais inferior.
TIPOS DE PAPÉIS
Acetinados – Sem nenhuma granulação, são calandrados a quente e apropriados para desenhar com pena e com lápis, permitindo tonalidades acinzentadas e degrades muito suaves.
Textura fina – Permitem tonalidades de cinza e degrades de alta qualidade, são apropriados para desenhos com lápis de grafite macio, lápis de cera e lápis de cor.
Textura média - Para pintar com pastel, desenhar com sanguínea e, com algumas limitações, para pintar com aquarela.
Vergé – É um papel tradicional, quase obrigatório para desenhar com carvão, sanguínea ou pastel.
Canson – Coloridos ou branco, são muito utilizados. Bastante granulosos de um lado e com granulação média do outro, sua textura e encolamento dão ao papel uma grande versatilidade, podendo ser usado com carvão, sanguínea, pastel e lápis de cor.Os especiais para aquarela – Fabricados com diferentes texturas (média, grossa e muito grossa), possuem características especialmente pensadas para os aquarelistas, mas também podem ser usados com algumas técnicas de lápis.

Entre as diversas marcas, o papel Canson de textura média e qualidade também média é um dos mais utilizados pois oferecem excelentes resultados com lápis de diferentes tipos e graduações. No entanto, quando se trata de um trabalho especial ou de desenhos que serão expostos é justificável maiores custos com o propósito de realçar a obra.

2 comentários:

Werner Vasconcelos disse...

Fico impressionado como é bem escrito esses artigos. Acabo lendo tudo de forma rápido e da vontade de ler mais.

Renato disse...

Muitíssimo obrigado pelos comentários Werner. E como é bom poder escrever para pessoas que tem essa percepção que você teve!!