A IMPORTÂNCIA DO TODO EM RELAÇÃO ÀS PARTES

A “cruz” ou ponto onde a linha do cenho cruza a linha central da face, é o ponto chave na construção de toda a cabeça. Ela determina a posição do plano facial na bola, ou no ângulo desde o qual vemos o rosto. É fácil determiná-la no modelo ou cópia. Continuando a linha acima e abaixo estabelecemos os dois lados da face e a cabeça. Continuado a linha do cenho ao redor da cabeça situaremos as orelhas.Loomis afirma que começar desenhando cabeça pelas partes (olhos, orelhas, boca e nariz) não é a maneira certa de iniciar um desenho, veja com o que ele compara:




Seria como desenhar um carro começando pelo volante. Em nenhum desenho a parte pode ser mais importante que o todo, e o todo é sempre o conjunto proporcionado das partes. Sempre é possível subdividir o todo em suas partes, em vez de deixar que as partes se ajustem por si sozinhas a suas verdadeiras proporções. Por exemplo, é mais fácil saber que a frente é um terço do rosto, e qual é sua posição no crânio, que construir o crânio a partir da face.




Talvez nosso costume de considerar a cabeça como pertencendo a um indivíduo determinado nos impede a julgar em sentido mecânico. Quem sabe se não nos ocorre que o sorriso é tanto a ação de um princípio mecânico como a manifestação de uma personalidade radiante. Na realidade o mecanismo de um sorriso é idêntico ao do cordão com que se faz correr uma cortina, uma ponta do cordão está atada a algo fixo e a outra à tela. Ao puxar o cordão recolhe-se a tela.




A bochecha atua do mesmo modo. A ação da mandíbula assemelha-se à de uma bisagra (Desenhistas Autodidatas também é cultura) ou grúa, mas a bisagra é do tipo de articulacão esférica. Os olhos rodam nas órbitas como esferas em um rolamento fixo. As pálpebras e lábios são como fendas numa bola de borracha, que estão naturalmente fechadas exceto quando se abrem. Toda expressão ordenada pelo cérebro se baseia em princípios mecânico. Embaixo do rosto existem músculos capazes de expansão e contração, semelhantes a todos os demais músculos do corpo. Depois estudaremos este interessante tema mais detalhadamente. Iniciaremos o desenho de cabeça estabelecendo pontos na bola e no plano facial. Tanto a bola como o plano facial devem subdividir-se para fixar estes pontos.




Por mais que você desenhe, por maior que seja a sua perícia, por penetrantes que seja seus olhos, ao começar você terá que construir a cabeça corretamente, como o carpintero, por mais prático que seja, sempre mede uma tabela antes de cortar. A construção do rosto e da cabeça depende do estabelecimento dos pontos de referência. Qualquer outro sistema baseia-se em meras conjecturas, o qual é sempre arriscado (ouçam o homem!). Uma vez que você tenha entendido isso, inúmeros erros serão evitados.




O ponto de vista mais importante da cabeça desde o qual se constrói o rosto é aquele imediatamente acima da ponte do nariz, entre as sobrancelhas. Este ponto permanece sempre fixo e está indicado pela linha vertical do nariz e a perpendicular na altura da sobrancelha. Na bola é a união do “equador” com o “primeiro meridiano”, as duas linhas que cortam vertical e horizontalmente a bola nas metades.




Todas as medidas nascem neste ponto. A igual distância entre este ponto e o cume da cabeça temos a linha do cabelo, e portanto a medida exata da testa (de certa forma não ficou muito claro no texto de onde foi tirado essa medida para estabelecer a altura da testa, entretanto de acordo com a figura mostrada abaixo podemos verificar que essa medição pode ser feito até intuitivamente tomando como base na altura da “bola” como ele chama).





(Viva Andrew Loomis!!)
continua... (aguardo comentários!)





-----------------------------





1 comentários:
Bluesunday disse...
Sou iniciante em desenho...nem sequer tenho traço direito...só desejo. Nunca consegui desenhar rostos, a não ser aqueles absurdamente próprios...e sem perspectivas!Adoro desnehar barcos, águas, objetos afundando...mesmo com meus traços toscos...Bem, mas isso não interessa. Adorei seu blog, estou lendo ele todinho. Muito legal essa atitude de compartilhar lições.Parabéns,Beijos e sucesso,M.
29 de Abril de 2008 07:44





-----------------





Muitíssimo obrigado pelo teu comentário Bluesunday, fico feliz que esteja nos acompanhando (espero que esteja entendendo e/ou aproveitando o conteúdo disponibilizado). Da nossa parte é muuuito bom está compartilhando informações que são vitais para o desenvolvimento artísticos dos desenhistas de língua portuguesa (visto que quase 100% do conteúdo para desenhistas está em outro idioma).





------------------------

4 comentários:

Bluesunday disse...

Sou iniciante em desenho...nem sequer tenho traço direito...só desejo. Nunca consegui desenhar rostos, a não ser aqueles absurdamente próprios...e sem perspectivas!Adoro desnehar barcos, águas, objetos afundando...mesmo com meus traços toscos...
Bem, mas isso não interessa. Adorei seu blog, estou lendo ele todinho. Muito legal essa atitude de compartilhar lições.Parabéns,
Beijos e sucesso,
M.

Júnior 'xD disse...

Também sou iniciante, porem acho que já tenho uma certa habilidade... Gosto muito de desenhar, principalmente passaros (araras, falcões, aguias...), cavalos e faces (as quais eu tenho mais dificuldade!! ;(
Mas eu tento...
Júnior 'xD
Gostei muito do site!!

Marcelo disse...

Venho ao Desenhistas Autodidatas frequentemente. Tenho aproveitado muito o conteúdo deste blog desde que o descobri. A princípio fiquei perdido com a quantidade de material que achei, pois não sabia por onde começar meus exercícios de desenho. Decidi tomar como ponto de partida o desenho da cabeça. Descobri que há vários métodos, sendo o de Loomis o que mais me interessou. Como foi advertido: parece fácil o método, mas não é. Estou tendo algumas dificuldades, mas serei preseverante e sei que no fim serei recompensado. Obrigado Desenhistas Autodidatas!

Raiz Podre disse...

Caramba,eu sou iniciante mas sei fazer laguns traços e tudo mais,até retrato faço mas quando se trata de criação eu sou meio peba.
Enfim,eu achei muito complicado esse metodo por que não consigo achar as medidas "médias",distância da boca ao nariz,ao "ossinho que salta" perto da buchecha.Isso tem alguma regra ou se usa mesmo o observação?