AS GAROTAS DAS PIN-UPS DE AL MOORE

LINKS CORRIGIDOS
Al Moore foi um ilustrador muito ocupado entre as décadas de 40 e 50 trabalhando para o desenvolvimento de propaganda e publicidade, com um estilo realista ele ilustrou para inúmeras revistas e marcas importantes nos Estados Unidos.

Aqui nós estamos disponibilizando 60 imagens em alta resolução dos trabalhos desse artista. A pasta está dividida em três arquivos. Aproveitem!!
link parte 1
link parte 2
link parte 3

MINÚCIAS DO DESENHO DA CABEÇA HUMANA

São notáveis as observações do Andrew Loomis quanto ao estudo do desenho da cabeça humana, suas considerações são precisas e às vezes ele até parece repetitivo, entretanto esse é uma detalhe que faz com que seu material seja extremamente didático; ele só passa para a próxima parte depois de assegurar que o que já foi explicado esteja realmente compreendido. Deixemos o homem falar...
Agora que você já conhece a forma em que as linhas de construção estão apoiadas na cabeça, analise rostos e crânios.

Estude sempre a configuração óssea e a localização dos pormenores (olhos, boca, nariz). Depois procure as formações e volumes nas bochechas (a forma como os músculos se apresentam), em torno da boca e os olhos. Estas formações são facilmente localizadas. Observe a proeminência do osso zigomático e se estão acentuados por sombras embaixo deles. Estude o nariz e a formação das aberturas do nariz, os lábios, e as rugas entre os lábios e as bochechas. Siga as formas ao longo do queixo e em torno da linha da mandíbula. Estas características gerais, junto com a forma inteira da cabeça, importam mais que a delineacão fotográfica da cada centímetro quadrado de superfície. Nesta nível de estudos os idosos são mais interessantes que os jovens, já que as características tiveram tempo de se desenvolver.

HOMEM ARANHA

by Todd McFarlane clique na imagem para ampliar
-Homem Aranha - ©Marvel Characters, Inc.
-Design: By Renato sobre arte de Todd McFarlane;
-Vetorizado com Corel Draw.

O ESFUMADO (PARTE II)

LINKS CORRIGIDOS!!
Existe uma discussão interessante na nossa comunidade do Orkut justamente sobre esse tema. Bom, é sabido de todos que já abordamos esse assunto aqui, vide postagem “A TÉCNICA DO ESFUMADO”, inclusive disponibilizando até links com demonstração de como trabalhar com esse tipo de técnica.
Hoje nós vamos discorrer só mais um pouquinho sobre o assunto.

• Esfumando com os dedos: Sem pressionar excessivamente o papel, o dedo move-se sobre ele em pequenos círculos e para os lados (na direção das setas). Os traços de grafite desaparecem e em seu lugar surge uma área de esfumado suave e uniforme.
• Com uma flanela: O desenhista pode utilizar um pequeno pedaço de flanela para criar uma zona esfumada. Neste caso, os movimentos também devem ser circulares e uniformes e o resultado é um tom homogêneo com suaves gradações.
• Desenho sem esfumado: Repare que um desenho feito diretamente sobre um papel de textura fina deixa visíveis os traços usados para definir a forma e o volume do modelo.
• Desenho esfumado: Esfumado o desenho anterior, obtém-se um efeito mais natural; os traços se integram e o resultado é uma superfície mais homogênea e polida.

ELES ESTÃO AQUI...

Quem foi que disse que eles estavam em uma galáxia muito, muito distante daqui?

Muito legal...

FEMALE SKETCH

Para relaxar segue um vídeo básico e não obstante muito bacana para download que você pode baixar clicando aqui. Female Sketch demontra um passo-a-passo para elaboração de um desenho da figura feminina.

OBSERVE AS PESSOAS

A Construção de diferentes tipos variando a circunferência e o plano
Procure observar as pessoas que você conhece, ou aquelas que estão perto de você e as estude atentamente.
Atente para as combinações criadas pela natureza. Estude a linha do cabelo até as sobrancelhas, logo a zona do centro desde as sobrancelhas até a base do nariz e finalmente até a base do queixo. Analise a linha central do rosto; enfim estude o que vê em ambos os lados.

DESENHANDO FACES

Para reforçar o que estamos estudando, mais dois ótimos vídeos. E aqueles que estão acompanhando as postagens sobre o desenho da cabeça humana já conseguirão ver as coisas com mais discernimento (desde a construção anatomica -músculos e ossos, até as proporções necessárias para a contrução do desenho).
Drawing Faces #01

Drawing Faces #02

IMAGINE E CRIE

Não existe razão alguma para restrições com a circunferência e o plano. Para construir a variedade de tipos mencionada nas postagens anteriores consegue-se simplesmente esboçando uma subestructura larga, quadrada, longa, estreita ou como você prefir. Agora vocês já tem a base da construção; prove agora algumas variações.

OLIMPÍADAS

fonte da imagem: The Wall Street Journal
Hoje falaremos de esporte, calma pessoal, não vamos falar sobre "Cubo d'água", ou "Ninho do Pássaro", nem em Michael Phelps. Bom, é que o Davisson fez um comentário interessante na postagem anterior sobre referências para desenho e estudando o livro "Arte e Técnica do Desenho a Bico-de-Pena" do Carlos Freixas, ele propõe uma solução criativa para resolver o problema, vejamos então...
Pois bem...Carlos Freixas sugere que o desenhista procure se aproveitar de forma inteligente e criativa de modelos porporcionados pelas atitudes dos esportistas. Dessa forma dependendo do ângulo ou posição o artista deve procurar encaixá-lo de acordo com a cena que se pretende elaborar (abordagem feita dentro do contexto do desenvolvimento dos desenhos para estórias em quadrinhos). E de fato hoje em dia com os recursos das câmeras digitais potentes e dos inúmeros jornais e revistas que cobrem os eventos esportivos, encontramos diversas imagens que podem auxiliar até no elaboração de estudos anatômicos detalhados (vide a foto do Phelps no início dessa postagem). Veja alguns exemplos desenvolvidos por Carlos Freixas:
Veja que o autor fala de "criatividade" com propriedade, é até engraçado e divertido ver a forma como ele encaixa as idéias das fotos nos desenho de estórias em quadrinhos:
Muito bom, não é mesmo? E tem muita coisa interessante nesse livro, que nem é tão caro assim, e é uma ótima dica para quem quer dominar a arte do desenho a bico-de-pena. Clique aqui e compre o seu!!

ACESSANDO O HEMISFÉRIO DIREITO DO CÉREBRO

Hoje estarei postando um dos tópicos mais comentados da comunidade Desenhistas Autodidatas no Orkut...
Por Rogério,
Para quem já conhece o livro: Desenhando com o Lado Direito do Cérebro, de Betty Edwards, talvez interesse em [ler] este outro: Acessando o Hemisfério Direito do Cérebro, de Lidia Peychaux. Este último livro tem um enfoque mais psicológico e esotérico; aqui, a intenção é usar as técnicas para o autoconhecimento. Para se ter uma idéia, mencionarei o que autora disse a respeito do exercício de formas do espaço negativo (exercício muito similar ao do livro de Betty Edwards):
Quando a autora orientou esse exercício, percebeu "quantas vezes somos capazes de nos perder do objetivo principal e nos desviarmos por outros caminhos", o que nos dá a falsa impressão de "estarmos avançando, quando, na verdade, repetimos as mesmas experiências, só que com diferentes aparências, que nos confundem...e acabam nos fazendo acreditar que o principal é secundário e que o secundário é o principal." Assim, acontece muito considerarmos tarefas secundárias como tendo "uma importância maior do que elas realmente têm. Como conseqüência, perdemos tempo demais..." Para separar o que é principal do que é secundário, devemos refletir, limpando "nossa visão de elementos visuais que não necessitam ser percebidos para que o essencial venha à tona."
O livro é muito bom e de fato complementa o livro da Sra. Betty Edwards tanto com o referencial teórico como também com os exercícios propostos. Se você quiser fazer o download do livro clique aqui!! Se quiser comentar, fique à vontade, pode fazer aqui, ou diretamente no tópico da comunidade Desenhistas Autodidatas no Orkut.

DRAWING FEMALE FIGURE

Bacana, não é mesmo? Clique aqui para ver o estudo completo. Só uma observação, é preciso cadastrar no site, entretanto, é rápido, fácil e não dói nadinha, cê vai ver...

HORA DA DIVERSÃO

A Variedade de espaços cria tipos distintos
Para criar diferentes tipos e personalidades nós devemos seguir as dimensões básicas com grande atenção, variando as proporções das três divisões do rosto, conseguiremos distintos resultados. Exitem mil combinações possíveis. Além do fato de ser muito divertido estar experimentando todas elas.

Construa seu desenho sempre observando a linha do centro
Ao desenhar uma cabeça lembre sempre que tem que haver um equilíbrio das formas em ambos lados da linha do centro. As partes ósseas ficam fixas e a expressão situa-se entre elas. A mandíbula só se abre e se fecha. A expressão recai nos olhos, bochechas e boca, com rugas na frente e em torno dos olhos. Tratam-se ambos lados de modo similar.

NO EPISÓDIO ANTERIOR...


Puxa! já faz um tempinho, peço desculpas ao nosso leitor e/ou visitante pela descontinuidade das postagens, não obstante não consigo me esquecer de vocês e a preocupação se agiganta a cada dia por não postar. É que surgiu uma série de trabalhos aqui que não estavam previstos. E ao que parece consegui terminar todos eles. Enfim... é isso aí, vamos continuar!!
-Retomando os estudos da cabeça humana (Tradução do material do Andrew Loomis - Drawing the Head & Hands ) nós paramos na parte onde ele faz considerações sobre o desenho da cabeça em três dimensões (Veja aqui!).
Os planos permitem manter a construção do rosto e da cabeça dentro das linhas de construção ou das divisões da circunferência e planos básicos. Fica mais fácil desenhar de forma tridimensional e em todas as posições inclinadas. A inclinação das bochechas e o retângulo arredondado da frente ocupam seu lugar nas três divisões do rosto. Representando assim a cabeça em blocos, determinamos os ângulos em toda a cabeça. Será nosso primeiro passo para a perspectiva da cabeça.Bom, nessas alturas do campeonato quero crer que você baixou e leu o meterial sobre perspectiva que foi postado aqui anteriormente, ele vai te dar uma base sólida para entender os termos aplicados por Loomis, como "linha do horizonte", "ponto de fuga", etc.
O domínio da perspectiva estabelece a diferença entre o aficcionado por desenho e o profissional. Todo objeto desenhado deve ter seu horizonte, implícito se não representado em realidade. Abaixo vemos os planos da cabeça vistos por cima e por embaixo do nível do olho. Se a cabeça fosse tão grande como um edifício, a perspectiva iria afetá-la da mesma maneira que faz a este.
Ademais, o César postou um comentário muuito positivo. Ele disse que a demora das postagens dava tempo pra ele estudar. Fico feliz César que esteja praticando o que é proposto aqui, o teu comentário é muito pertinente. E esperamos que os outros desenhistas que estão nos acompanhando estejam fazendo o mesmo.